Parque Estadual da Chacrinha: de forte militar a área de lazer

Publicado na edição 341 (1ª quinzena de julho de 2012)

Quem pensa que o único contato que os moradores de Copacabana têm com a natureza é a praia e as praças está enganado. Localizado perto do metrô Cardeal Arcoverde, o Parque Estadual da Chacrinha oferece 36 mil metros quadrados de Mata Atlântica em uma área residencial do bairro. O lugar, escondido no final da Rua Guimarães Natal, abriga diversas espécies de animais, como micos-estrela, aves e borboletas; e vegetais, como o quase extinto araça de praia, planta nativa do bairro (encontrada em abundância que seu nome científico foi escolhido como uma homenagem à região: Eugenia copacabanensis) e que desapareceu com a urbanização.


A história do terreno confunde-se com a do Leme (toda a região entre a Pedra do Leme e a Pedra do Inhangá fazia parte desse bairro; a atual divisão aconteceu com a destruição parcial do rochedo localizado perto do Copacabana Palace - hoje, os únicos indícios do morro se restringem à Rua General Barbosa Lima). Relatos mostram que ali funcionava um forte no século XVIII, onde Tiradentes serviu em 1739. Desse período, o principal vestígio são os arcos na Ladeira do Leme. No entanto, as trilhas (abertas por índios no período pré-colonial) mostram outras ruínas escondidas pelas árvores.


A fortificação foi desativada durante a 2ª Guerra Mundial e, em 1960, após a mudança da capital para Brasília, a posse de todas as propriedades da União passaram para o estado da Guanabara. O local ficou abandonado e foi ocupado por moradores de rua, que ficaram ali até 1965. Após a retirada deles, o terreno continuou sem uso, tornando-se uma grande lixeira e depósito de carros alegóricos.


O parque foi oficializado através de um decreto em 1969, aproveitando o nome que se tornou popular após um morador da atual Rua Felipe de Oliveira sugerir a construção de uma chácara no local, aproveitando as fontes de água para abastecimento e irrigação da plantação. No entanto, sua inauguração aconteceu somente em em 1985. O local conta com brinquedos infantis, equipamentos de ginástica, quadra de futebol e trilhas que levam até o alto do Morro São João.


Atualmente, o Parque Estadual da Chacrinha atrai muitas mães e babás com crianças pequenas, que aproveitam a tranquilidade, a beleza e a segurança que o lugar oferece. Muitos alunos das escolas próximas também frequentam o espaço, que conta com a presença de guardas municipais fazendo a vigilância de terça a domingo, das 8h às 17h (durante todo o horário de funcionamento).