top of page

Loja de Copacabana com mais de 95 anos de funcionamento preserva tradições familiares


Quem caminha pela calçada da Rua Siqueira Campos não imagina estar passando pela porta de um dos negócios mais tradicionais do bairro: a Casa Pires Gonçalves. A loja está em funcionamento no mesmo endereço desde 1928, preservando ainda o mobiliário e a decoração originalmente instalados pelo avô do proprietário atual.


“Passava bonde aqui na porta”, lembra o gestor Ricardo Gonçalves, que cita outras lembranças do passado construído por seu antepassado. “Os vendedores trabalhavam de terno, pena que não há fotos disso”, lamenta, mostrando-se orgulhoso por ter mantido a tradição familiar da casa. Inicialmente, o negócio era um depósito da fábrica de tecidos Corcovado, que ficava nas margens da Lagoa Rodrigo de Freitas e era tão relevante no cenário nacional que constava no folheto da Exposição Internacional de Centenário da Independência, em 1922, como exemplo do que era produzido no Rio, então capital federal. Um dos sócios daquele negócio era o avô de Ricardo, Rafael Gonçalves, que montou o espaço em Copacabana com outro sócio, de sobrenome Pires (o nome deste é desconhecido atualmente).


Entretanto, foi outro sócio, de sobrenome Saldanha, que popularizou o negócio no bairro – afinal, era ele quem atendia os clientes naquele endereço – a loja teve várias filiais. O apelido “loja do seu Saldanha” chegou a ser mais conhecido que o próprio nome do estabelecimento e até os dias atuais ainda é lembrado por moradores mais antigos, ou seus descendentes. Naquela época, o comércio era exclusivo de tecidos. “Havia retalhos de brim, flanela…”.


Atualmente, esses produtos ainda são encontrados, mas junto a eles, outros também são ofertados como cortinas e blecautes (eventualmente instalados na residência do cliente no mesmo dia), artigos de plástico (como cortina de box, toucas de banho e toalhas de mesa) e até travesseiros diferenciados, que se tornaram uma das especialidades da casa. Tudo é disposto no mobiliário original instalado por Rafael, todo em madeira, como era tradicional em comércios antigos. O imóvel também conserva algumas poucas características originais. A casa, que ocupa o número 78 da Rua Siqueira Campos, foi dividida e a parte ocupada pela Casa de Bolo foi modernizada, enquanto a da Casa Pires Gonçalves (que corresponde à loja A) preserva traços arquitetônicos indicando haver muita história por trás daquelas paredes.

ความคิดเห็น


ปิดการแสดงความคิดเห็น
bottom of page