Musical infantil apresenta repertório de Luiz Gonzaga às crianças


(Foto: StudioPrime)

Em ritmo de festas julinas, o musical infantil “Luizinho e Nazinha – Luiz Gonzaga Para Crianças” é apresentado no Teatro Clara Nunes até 31 de julho. Prestes a completar 10 anos em cartaz, o espetáculo faz parte do projeto “Grandes Músicas Para Pequenos”, que mescla as biografias de artistas brasileiros renomados e suas obras no palco.


“A ideia era comemorar o centenário do Luiz Gonzaga transformando a história de amor dele em algo meio Romeu e Julieta para esse público. O Diego Morais (diretor) achou a ideia ótima. Escrevi, a gente estreou e foi um sucesso, todo mundo ficava perguntando quando seria o próximo. A gente sentiu que havia uma vontade dos pais e das crianças em relação à música brasileira”, lembra o idealizador Pedro Henrique Lopes, que assina o texto e interpreta o Rei do Baião no espetáculo, dividindo cena com Alice Carrocino, a intérprete de Nazinha, seu par romântico; e Erika Riba e Sergio Somene.


Desde então, outros musicais foram desenvolvidos na mesma linha, homenageando Braguinha, Milton Nascimento, Caetano Veloso e Gilberto Gil, Raul Seixas e Elis Regina. Em breve, um inédito, sobre Elza Soares, chegará aos palcos. “Os pais levam os filhos para conhecer as músicas e a cultura brasileira que não necessariamente está no TikTok ou no Youtube”, descreve o ator, mencionando o trabalho de conquistar o público infantil: “ Elas vêm sem saber o que vão ver, se surpreendem porque os pais sabem cantar e se emocionam… É muito bonitinho vê- -las descobrindo a obra desses músicos tão importantes. No caso do Luiz Gonzaga, é muito comum que já conheçam e saibam as músicas porque aprendem nas escolas”.


Aline reforça a visão do colega apontando que não deveria existir o rótulo de “música de adulto”: “Muitas vezes há um olhar que coloca produtos culturais para crianças como algo menor. Temos que olhar como arte. A importância desse projeto é mostrar que a música não é para uma faixa etária ou uma classe social. É para qualquer pessoa”, aponta, mencionando o exemplo prático que acompanha em casa: seu filho de cinco anos. “Ele canta ‘Tico-Tico No Fubá’ e outras que não pensamos imediatamente para essa idade e por que não? Desde que ele é pequeno é embalado por música por mim ou meu marido. A gente sempre cantou o repertório considerado do folclore infantil, mas também “Carinhoso”, Cartola, Gilberto Gil… Hoje mesmo estávamos conversando sobre o Caetano. Temos que sair desses nichos e classificações. As crianças são espectadoras potentes.”


Luiz e Nazinha – Luiz Gonzaga para Crianças” conta passagens da infância de Luiz Gonzaga no interior do Nordeste, com destaque para a descoberta do amor, quando o jovem Luizinho se apaixona por Nazarena, filha de um coronel que não permite o namoro. O resultado é uma fábula de amor inocente, voltada para toda a família, embalada por grandes sucessos do músico, como “Asa Branca”, “Que Nem Jiló”, “Baião”, “O Xote das Meninas”, “Olha Pro Céu”, entre outros. “A gente usa os arranjos e as músicas em favor da história. Não necessariamente são no mesmo andamento ou ritmo que as consagradas pelos cantores. Por exemplo,‘Olha Pro Céu’ é música de quadrilha, super animada, mas para a gente, é romântica, com violino. Foi totalmente repaginada”, explica Lopes


Apesar do viés infantil, a montagem é idealizada para a família inteira desfrutar da ida ao teatro. “A criança não tem o impulso de falar ‘vamos ver aquele espetáculo’. Isso parte do adulto. É um dos méritos do projeto: saber proporcionar um produto para a família. Primeiro captura os responsáveis, que têm interesse em levá-las. Os adultos, que percebem as emoções mais apuradas, se emocionam”, descreve a atriz, que comemora o fato de o conhecimento não ficar limitado ao que é apresentado no palco: “Nessa semana recebi uma mensagem de gente dizendo que os filhos amam Milton Nascimento por causa do que apresentamos. A partir disso, se abrem para receber mais músicas e conhecer os artistas”.


Serviço: Temporada: até 31 de julho | Teatro Clara Nunes: Rua Marquês de São Vicente, 52 – 3º andar – Gávea | Telefone: (21) 2274-9696 | Dias e horários: Sábados e Domingos, às 16h. Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) | Vendas na bilheteria e no site Sympla | Lotação: 750 pessoas | Duração: 55 minutos | Classificação: Livre