Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro faz sucesso com interação digital com o público


Reaberto em 2021, o Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro (MHCRJ), na Gávea, tem atraído grande público ao Parque da Cidade. Com entrada gratuita, o espaço, além de apresentar ao público a cronologia da região, com acervo que inclui desde peças autênticas da missão que trouxe Estácio de Sá ao território carioca à placas originais da inauguração da Avenida Central, apresenta vasta programação cultural em sua área externa, divulgada previamente no Facebook. Recentemente, a instituição inaugurou a série de vídeos em seu canal do Youtube que apresenta visitas teatralizadas à parte interna, possibilitando o lazer até de quem prefere fi car em casa.


O MHCRJ é uma oportunidade de conhecer o passado do Rio de Janeiro. Pinturas, objetos, maquetes e até mobiliário antigo fazem parte das exposições, liberadas a todos os públicos. Relíquias como a arca das três chaves, que guardava ouro que seria usado como fundos para a canalização do Rio Carioca e que necessitava de três chaves, uma mantida pelo governador, outra por um vereador e a terceira por um jesuíta, para ser aberta; a peça que serviu de estudo para a confecção da estátua do Cristo Redendor; a mobília da residência do prefeito Pereira Passos (que assumiu a cidade entre 1902 e 1906 e foi responsável por grandes obras de modernização) são algumas das raridades expostas. Outras peças, como uma grande maquete de gesso encomendada pela Prefeitura do então Distrito Federal, também ajudam a contar a história desde a fundação da cidade, em 1565, até o começo do século XX.


Instalado em um casarão com um pavimento de 1809 e outro de aproximadamente 100 anos depois, o MHCRJ teve o funcionamento restrito ao edifício anexo por cerca de 10 anos, período no qual o imóvel original, antiga residência do Marquês de São Vicente, foi inteiramente restaurado, o que possibilitou o retorno de todo o acervo. Modernizações como os elevadores instalados pelo último morador, Guilherme Guinle, garantem a acessibilidade por parte de todos os públicos. Propriedade da Prefeitura desde 1939, foi transformado em museu após dois anos, mas a nova fase, iniciada com a reinauguração, em maio de 2021, é marcada pela aproximação com o público por meio da internet.


No Facebook (“Museu Histórico da Cidade RJ”), atrações como lançamentos de livros, contações de histórias e shows diversos são frequentemente divulgados. Para janeiro, são previstos ensaios abertos do cantor e compositor Pedro Miranda aos sábados, às 11h, no jardim.Até o fechamento dessa edição, mais informações sobre a programação mensal ainda não haviam sido divulgadas, mas o destaque da interação virtual fi ca por conta dos vídeos publicados no canal do Youtube “Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro”. Além de diversas produções, como as com histórias infantis e as que mostram os bastidores do funcionamento do espaço, em dezembro a institutição inaugurou uma série que apresenta visitas teatralizadas, com atores apresentando cada seção.


Mais informações podem ser obtidas por meio das páginas www.museudacidadedorio.com.br e www.facebook.com/ MuseuHistoricodaCidadeRJ