Morador do Leme é vice-campeão mundial de jiu-jitsu


(Foto: Pedro Perestrello)

O morador do Leme Rafael Camargo acaba se de tornar vice-campeão mundial de jiu-jitsu na categoria faixa azul peso pena (até 70kg). O atleta, de 18 anos, competiu no torneio, que aconteceu na Califórnia, em dezembro, e trouxe o troféu para o Brasil, representando a Carlson Grace Team.


A vitória ocorreu após um preparo intenso, já que devido a uma lesão no joelho, Camargo se viu obrigado a se afastar do esporte: “Me machuquei em outubro de 2019 e operaria em março de 2020, mas teve o lockdown (que paralisou as cirurgias eletivas). Só consegui fazer a cirurgia em outubro”, lembra, mencionando que só voltou aos tatames em janeiro de 2021, após a liberação da fisioterapeuta.


“Eu não queria arriscar, mas intensifiquei os treinos”. Ao longo do ano, participou de competições no próprio Rio, mas por influência de seu mestre no esporte, que viajaria com os filhos para o Mundial, se inscreveu também, sem patrocínio. Parte das ajudas financeiras veio do grupo de moradores “Vizinhos do Leme RJ”, no Facebook, onde o atleta vendeu uma rifa que custeou uma parcela das despesas: “As ajudas foram boas, mas não suficientes. Fiz rifa com 100 números, cobrei R$20. Deu R$2 mil, mas só a passsagem foi R$4,5 mil”, observa, mencionando que o apoio chegou também por fora: “Outro morador deu mais R$500 e o quimono”.


Na visão de Rafael, a pouca idade lhe ajudou no que diz respeito ao preparo para o torneio, uma vez que ainda não possui outras preocupações comuns aos mais velhos. “Quando a gente faz 18 anos, quer logo encarar a vida adulta e pensa em outras coisas, como faculdade. Eu e meus pais focamos bastante no campeonato”, aponta, atribuindo o sucesso ao apoio recebido. Essa colaboração veio também de fora de casa, principalmente dos amigos fisioterapeutas.


Morador do Leme desde que nasceu, Rafael divide-se entre a praia, seu lugar favorito do bairro, e a academia Xmeir, em Copacabana, na altura do Lido, onde além de treinar, também dá aula para crianças. Apesar de ter voltado recentemente dos Estados Unidos, já está de olho em novos troféus, como o Europeu, a ser disputado em fevereiro. A participação, no entanto, ainda é uma incógnita devido aos casos de COVID: “Os brasileiros estão com limitações para entrar e estão falando de quarentena. Se tiver que fazer, não vou poder ir”, diz, apontando que se conseguir participar, também conta com ajudas financeiras. Enquanto não pode ter certeza acerca da viagem, o atleta pensa também nas seguintes: “Se não for possível ir, tentarei o Pan-Americano, em abril; e o Mundial, em junho”. Camargo pode ser contatado por meio do Instagram @rcamargo_bjj.