Festival que une música e arquitetura leva concertos a construções emblemáticas


Eliane Coelho (Foto: Antonio Guerreiro)

Em sua primeira edição, o FIMA – Festival Interativo de Música e Arquitetura convida o público a viver uma experiência imersiva que une música e arquitetura em construções icônicas da cidade do Rio de Janeiro. Historiadores da arte e arquitetos abrirão o caminho para que músicos brasileiros consagrados apresentem obras musicais que dialoguem com a arquitetura, a arte decorativa e a história destes importantes patrimônios materiais. Todas as apresentações terão entrada gratuita e acontecerão de 10 a 21 de dezembro. O FIMA é patrocinado pelo Instituto Cultural Vale por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.


Real Gabinete Português de Leitura, Sítio Burle Marx, Outeiro da Glória, Parque Lage e a Antiga Sé são os locais que vão receber os concertos desta primeira fase do Festival. Entre os meses de janeiro e maio 2022, o evento contará com mais cinco apresentações em outras construções do Rio, além de locais em Mangaratiba e em Itaguaí a serem anunciados posteriormente.


Idealizador do evento, o músico e produtor cultural Pablo Castellar revela que o FIMA estimulará o público para que, em cada local visitado, perceba a correlação entre a música e a arquitetura. “O FIMA é uma ação inovadora. Através de seus concertos, e do material digital interativo que estará disponível no site do projeto, queremos oferecer novos paradigmas para uma apreciação cativante das riquezas culturais de nossa história”, explica. “Com ampla circulação na cidade, o FIMA passeará por diversos prédios históricos, trazendo uma nova abordagem para a construção de uma relação mais afetiva do público com o nosso patrimônio cultural”, completa.


Abrindo o ciclo, um local que, apesar de construído na segunda metade do século XIX, reverbera em sua arquitetura neomanuelina os tempos da expansão ultramarina do Rei Manuel I, descritos na epopéia camoniana: o Real Gabinete Português de Leitura. Este templo do conhecimento e da literatura portuguesa receberá a voz da soprano Marília Vargas e as cordas dedilhadas de Guilherme de Camargo no dia 10 de dezembro, às 19h. No programa, obras de cancioneiros portugueses do século XVI (três delas com inclusão de textos de Luis Vaz de Camões, do qual também se ouvirá uma canção composta a partir do primeiro e segundo canto de “Os Lusíadas”), Marcos Portugal, Chiquinha Gonzaga, Villa-Lobos entre outros. A arquiteta e urbanista Noemia Barradas fará os comentários que relacionam o local à escolha do programa.


No dia seguinte, 11 de dezembro, às 11h, a programação do FIMA chega ao Sítio Roberto Burle Marx – um lugar único, onde a cultura e a natureza se entrelaçam, que em julho deste ano recebeu o título de Patrimônio Mundial da Unesco. O violonista Luis Leite e os arquitetos Claudia Storino e Carlos Fernando de Moura Delfim serão os anfitriões de um passeio musical pelos principais pontos de visitação do local. Músicas que dialogam com sua arquitetura e seu jardim tropical estão no repertório, que contempla obras que vão do século XVIII ao século XX. Johann Sebastian Bach, Villa-Lobos, Schubert, Walter Burle Marx e Aníbal Augusto Sardinha “Garoto” estão no programa. O público presente também poderá fazer uma visita guiada ao sítio antes ou depois do concerto.


Construção onde se observa toda a elegância e a sobriedade da arquitetura religiosa portuguesa, a Igreja Nossa Senhora da Glória do Outeiro é a próxima parada do festival. No dia 15 de dezembro, às 19h, o cravista Bruno Procópio executará um programa que dialoga tanto com a austeridade da área externa quanto com a riqueza do interior do local. Jacinto do Sacramento, Soror da Piedade, Jean-Henri D’Anglebert, François Couperin e Carl Philipp Emanuel Bach estão no repertório. A arquiteta Dora Alcântara é quem falará ao público sobre as características da construção.


A soprano Eliane Coelho e o pianista Gustavo Carvalho são os músicos convidados para a apresentação no Parque Lage, dia 19 de dezembro. O edifício eclético, com referências a diferentes tempos e predominância da arquitetura italiana da antiguidade romana e do renascimento florentino e veneziano será o palco para o duo interpretar obras de Camille Saint-Sans (cujo centenário de morte será celebrado em dezembro), Massenet, Bizet e Verdi. O historiador da arte Guilherme Bueno será o palestrante na ocasião.


E fechando a programação da primeira etapa do FIMA, um concerto sinfônico em uma construção onde o público poderá desfrutar de toda leveza e alegria do rococó religioso do Brasil: A Igreja Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé. No dia 21 de dezembro, a Orquestra Sinfônica de Barra Mansa se apresenta sob a regência do maestro e violinista Daniel Guedes, que também atuará como solista. Guiado pelas explanações da historiadora Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira, o público ouvirá um programa composto por obras de Jean Philippe Rameau, Carl Philipp Emanuel Bach, Mozart, José Maurício Nunes Garcia e Marcos Portugal.


A experiência do FIMA também poderá ser vivida virtualmente. Além de toda programação presencial, haverá exibição on-line dos concertos (filmados em formato tradicional e em 360º), lançamento de websérie com os bastidores dos concertos e entrevistas com os convidados e um podcast com os músicos e palestrantes.


As realizações do festival contemplam, também, aulas magnas de música gratuitas, presenciais ou remotas, com artistas convidados para o evento, e o "FIMA na Escola'’. Esta última, uma ação educacional para alunos da rede pública, com o objetivo de sensibilizar crianças, estimulando novos caminhos de valorização de suas identidades culturais. Tudo isso para que melhor compreendam a importância do patrimônio histórico de sua comunidade.


Saiba mais em: fima.art.br

Siga o FIMA nas redes sociais:

Instagram: @festival.fima

Facebook.com/festival.fima


Programação:

10 de dezembro, às 19h (sexta-feira)

Real Gabinete Português de Leitura

Marília Vargas (soprano) e Guilherme de Camargo (cordas dedilhadas)

Palestrante: Noemia Barradas


Programa:

LUIS MILÁN – El Maestro | Villancicos (Falai miña amor | Poys dizeis que me quereys)

ANÔNIMO – Cancioneiro d`Elvas | Villancicos (Porque me não vês Joâna |Cuydados meus tão cuydados | Toda noite e todo dia (Cantiga))

Cancioneiro de Paris | Villancicos com acréscimo de voltas de Luís Vaz de Camões (Minina dos olhos verdes | Na fonte esta Lianor | Do vosso bem querer senhora)

ANÔNIMO – Puestos están, frente a frente

MARCOS PORTUGAL – Marília de Dirceu (Os mares, minha bela, não se movem | Ah, Marilia, que tormento | Se o vasto mar se encalpela)

JOSÉ CID – As armas e os barões assinalados (1º e 2º canto de Os Lusíadas de Luís Vaz de Camões

CHIQUINHA GONZAGA – Lua Branca

HEITOR VILLA-LOBOS – Cantilena da Bachianas nº5 (arr. para violão do compositor)


11 de dezembro, às 11h (sábado)

Sítio Roberto Burle Marx

Luis Leite (violão)

Palestrante: Claudia Storino e Carlos Fernando de Moura Delfim


Programa:

JOHANN SEBASTIAN BACH – Adagio Arioso da Cantata BWV 156, de

HEITOR VILLA-LOBOS – Prelúdio da Bachiana nº 4 | Tocata (O Trenzinho Caipira) da Bachiana nº 2

FRANZ SCHUBERT – Ständchen (Serenata)

WALTER BURLE MARX – Violeiros de Guaratiba (II. Santo Antônio da Bica)

ANÍBAL AUGUSTO SARDINHA (GAROTO) – Jorge do Fusa

HEITOR VILLA-LOBOS – Choros 1 (Dedicada a Ernesto Nazareth)


15 de dezembro, às 19h (quarta-feira)

Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro

Bruno Procópio (cravo)

Palestrante: Dora de Alcântara


Programa:

JACINTO DO SACRAMENTO – Tocata em Ré menor

SOROR DA PIEDADE – Discurso de 1° Tom

JEAN-HENRI D’ANGLEBERT – Trechos da 1ª Suíte em Sol Maior

Prélude

Allemande

Courante

Double de la Courante

2° Courante

Sarabande

Gigue

Chaconne Rondeau

FRANÇOIS COUPERIN – Trechos Variados

Les Sylvains

Troisième Prélude

Les Grâces Incomparables ou La Conti

L'Hymen-Amour

La Manon

CARL PHILIPP EMANUEL BACH – Sonata Württemberg n° 3 em mi menor

I. Allegro

II. Adagio

III. Vivace


19 de dezembro (domingo), às 17h

Parque Lage

Eliane Coelho (soprano) e Gustavo Carvalho (piano)

Palestrante: Guilherme Bueno

Programa:

CAMILLE SAINT-SAËNS – L’attente | Chanson triste

JULES MASSENET – Élégie | Sérénade d’Automne

GEORGES BIZET – Absence | Adieux de l'hôtesse árabe | Après l’hiver

GIUSEPPE VERDI – Non t'accostare all'urna | In solitária stanza | Nell’orror di notte oscura | Perduta ho la pace | Il tramonto | Ad una stella


Dia 21 de dezembro, às 18h (terça-feira)

Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé

Orquestra Sinfônica de Barra Mansa | Daniel Guedes (regência e violino)

Palestrante: Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira


Programa:

JEAN-PHILIPPE RAMEAU – Suite Dardanus

I. Overture

II. Entre pour les guerrier

III. Tambourin I. & II.

CARL PHILIPP EMANUEL BACH – Sinfonia WQ 182,1 em Sol Maior

I. Allegro di molto

II. Poco adagio

III. Presto

WOLFGANG AMADEUS MOZART – Sinfonia nº 25 k183 em Sol Menor

I. Allegro con brio

JOSE MAURÍCIO NUNES GARCIA – Missa de Santa Cecília | Laudamus Te

MARCOS PORTUGAL – Ouro não compra o Amor | Abertura

WOLFGANG AMADEUS MOZART – Sinfonia No.35, K.385

IV. Presto