Da Faetec à Le Cordon Bleu: a trajetória da aluna que escolheu a Gastronomia para trabalhar


Maria Bethânia (Foto: Divulgação)

Já imaginou como deve ser a alegria de trabalhar com aquilo que ama? A Maria Bethânia sabe bem como é esse sentimento. A cozinheira de 36 anos se encantou pela gastronomia ainda na infância e, na primeira oportunidade, que viu de seguir seu sonho, não perdeu tempo. Realizou seu primeiro curso na área na Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec). E, dentre os mais de 1 mil candidatos que disputaram o primeiro processo seletivo da Le Cordon Bleu, promovido em parceria com a Rede Faetec, em 2018, ela foi uma das cinco selecionadas. Atualmente, é funcionária da renomada escola de culinária francesa.


Em 2014, Maria Bethânia Leal trabalhava no mercado imobiliário quando decidiu trocar de profissão. A primeira opção foi a gastronomia, que era sua paixão de infância. Ela se inscreveu e foi sorteada para o curso de Qualificação Profissional de Auxiliar de Cozinha da Faetec, que, na época, teve duração de três meses.


Sua intenção era dar continuidade aos estudos na área de gastronomia após a conclusão do curso de Qualificação Profissional. Porém, devido a sua gravidez, optou por fazer uma pausa no desejo de ser cozinheira para se dedicar ao sonho da maternidade.


Ela conta que aprendeu a cozinhar a partir de uma necessidade, primeiro aprendeu a fazer arroz, depois feijão, até se tornar a cozinheira da família. “Comecei a cozinhar desde pequena. Minha mãe trabalhava fora, éramos meus irmãos e eu; sendo que eu era a irmã do meio e a cozinha me interessava muito. Minha mãe sempre saía e a gente tinha que fazer uma coisa ou outra”, lembra Bethânia.


Somente em 2018, após quatro anos longe das cozinhas profissionais, é que Maria Bethânia retomou os estudos na área. “Soube pelo chefe Fernando Marques (que é coordenador dos cursos de gastronomia da Rede) que a Faetec havia iniciado um processo seletivo em parceria com a Le Cordon Bleu. Eu me inscrevi e fui aprovada na seleção”, conta a cozinheira que se destacou entre mais de mil candidatos.


O curso foi concluído em 2019 e, logo após se formar, foi contratada para trabalhar na escola de culinária francesa, onde continua atuando até hoje. Sete anos após iniciar os seus estudos na Faetec, a egressa retornou à unidade Quintino, como uma das convidadas para compor o corpo de jurados da avaliação final das turmas de Qualificação Profissional de Cozinheiro, Confeitaria e Garçom. Ao todo, ela participou da avaliação de 21 alunos.


Ela falou um pouco como se sente em voltar à escola e sobre seus planos para o futuro: “no momento estou bem satisfeita com a minha escolha e muito feliz em poder voltar aqui depois de formada. Claro que ainda quero aprender mais, estudo muito pra isso e pretendo, quem sabe, ir para fora do Brasil com a minha profissão”, conclui Maria Bethânia.