Camila Botelho comemora crescimento da personagem na nova temporada de “Desalma”


(Foto: Divulgação)

A segunda temporada da série “Desalma”, disponível no GloboPlay, levou a atriz Camila Botelho a reconstruir o papel que interpreta na trama. Em continuidade aos acontecimentos no fim da primeira, o público pode conferir a jovem Melissa é possuída pelo espírito de Halyna, morta três décadas antes da linha temporal que está sendo exibida desde abril.


“Foi um processo bem interessante de fazer. Não é nem uma imitação da personagem que me possuiu nem mais a Melissa. É uma terceira, que nasceu da fusão das duas”, descreve, mencionando a ajuda da preparadora de elenco Ana Kfouri para construi-la. “Também tive muito contato com a atriz que fez a Halyna na primeira temporada (Anna Melo). Conversamos bastante sobre as características dela, assisti várias vezes as cenas e a partir disso tudo e da minha pesquisa de como seria uma possessão, surgiu essa personagem”.


A resposta do público a essa reviravolta tem agradado a atriz, que celebra o sucesso: “A Melissa, entre a primeira e a segunda temporada, cresceu muito. Tenho recebido bastante feedback das pessoas, que estão elogiando muito o trabalho. A série está sendo bastante divulgada”. Em seu terceiro trabalho profissional, Camila, que anteriormente participou de “Samantha!”, no Netflix, e do filme “As Órfãs da Rainha”, tem a oportunidade de dividir o estúdio com grandes nomes, como Cássia Kiss, Cláudia Abreu e Maria Ribeiro, o que, para ela, tem sido uma enorme lição.


“Foi uma coisa maravilhosa. É um grande privilégio para nós, que somos jovens atores, poder compartilhar o set com essas pessoas porque a gente aprende muito. É realmente uma aula! São atrizes e pessoas que eu já admirava. Às vezes, nem parecia que era vida real, ainda mais para uma pessoa que veio do interior. Trabalhar com aquelas pessoas que você vê na TV, acha que nunca vai chegar lá e de repente, está lá é uma sensação maravilhosa. Fico muito grata!”, comenta a artista, nascida em Varginha, interior de Minas Gerais.


Assim como a personagem, acostumada com a agitação da vida urbana e que precisa se adaptar ao uma localidade mais tranquila, Camila precisou se adequar outro ambiente, mas seguindo o caminho contrário, o que, em um primeiro momento, a desagradou: “Eu era super interiorana, não queria ir para a cidade grande de jeito nenhum. Tinha pavor de cidade grande, achava caótico demais, com muitos prédios… Tinha medo e me apaixonei. Depois da primeira mudança, passei por vários lugares”, observa, mencionando outras semelhanças com Melissa: “Ela tem muitas características que eu tinha naquela idade: é uma pessoa mais alternativa, usa cabelo colorido… Eu era muito assim quando adolescente”.


Apesar do sucesso, a terceira temporada de Desalma ainda não foi confirmada, mas se depender de Camila, haverá novos episódios: “A segunda deixa um gancho em aberto”, conclui.