Bairro Peixoto ganha homenagem a Artur Xexéo


O jornalista, escritor e dramaturgo Artur Xexéo foi imortalizado em Copacabana com uma placa em sua homenagem. A peça foi instalada em 25 de setembro na Praça Edmundo Bittencourt, no Bairro Peixoto, onde viveu por cerca de 40 anos até ser vitimado por um linfoma. A inauguração contou a presença do prefeito Eduardo Paes, colegas de profissão como Zuenir Ventura e Ancelmo Gois, parentes do morador ilustre e o viúvo Paulo Severo, que residiu naquele trecho com Xexéo por mais de três décadas.


Formado em Jornalismo pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso, Xexéo fez seu primeiro estágio no Jornal do Brasil. Trabalhou também em revistas como Veja e Istoé. De volta ao veículo que o lançou, foi um dos responsáveis pela reformulação da Revista de Domingo, além de ter sido editor do Caderno B e da seção sobre a cidade antes de se tornar colunista. Posteriormente, sua coluna foi transferida para o jornal O Globo, onde também foi editor do Segundo Caderno e do suplemento Rio Show. Como escritor, lançou quatro livros. Assinou também cinco espetáculos teatrais, além de ter sido o responsável pela versão de mais dois. Também foi comentarista da Rádio CBN e da GloboNews.


Apaixonado por Copacabana, citou muitas de suas lembranças em suas colunas, que reforçavam sua conexão com a região. Em entrevista ao Jornal Posto Seis, publicada em 2002, contou sua relação com o bairro: “Eu sempre morei em Copacabana. Nasci no Rio meio que por acaso porque meu pai era oficial do Exército, mas minha família sempre morou em Copacabana, então passava as férias na casa das minhas tias e minha avó. Elas se mudavam muito (…). Moraram no Posto 6; na Avenida Atlântica (ao lado do Copacabana Palace); na Rua Miguel Lemos, enfim, em todos os pontos”. Em todas as vindas à cidade, duas vezes ao ano, ficava no bairro que escolheu como seu. Ao prestar vestibular, em 1970, passou a viver com a avó, mas quando decidiu morar sozinho, escolheu um apartamento na Rua Domingos Ferreira, onde viveu até 1982, quando foi para o Bairro Peixoto.


A placa está instalada na praça, perto da esquina das ruas Rua Tenente Marones de Gusmão e Maestro Francisco Braga.