Ator Yann Dufau estreia musical "Cazas de Cazuza"


Yann Dufau (Foto: Divulgação)

"Cazas de Cazuza" é um musical reestreou após o sucesso que fez nos anos 2000, assistido por mais de 100 mil pessoas, foi um espetáculo que marcou época com sua força e energia contagiantes, e abriu caminho para uma série de musicais que vemos hoje em dia. Ainda hoje sua linguagem assim como as musicas de Cazuza que o embalam são extremamente atuais.

O ator e cantor Yann Dufau foi selecionado para dar vida ao Deco, um personagem que mostra que machismo e homofobia ainda estão enraizados na sociedade, de forma agressiva ou muitas vezes sutil. Cafajeste e bem humorado, o personagem trás o lado carioca mais sacana, o homem malandro, bonito e divertido com atitudes mais que reprováveis ou irresponsáveis.


Ao lado de grandes artistas no elenco, como o ator e humorista Paulinho Serra, a atriz Julianne Trevisol, os cantores e ex-The Voices Leandro Buenno e Jade Baraldo. Além de Rodrigo Pitta que escreveu e dirigiu o musical desde 2000 e o transformou no sucesso que foi e continua sendo, também temos o Cantor e Compositor Jay Vaquer (que interpretou Justo na primeira versão) assina a direção musical.


Morador do Cachambi, Yann passou por uma série de testes para encarar o papel, mas o diretor afirma que o papel já era dele desde o momento em que fez sua primeira audição. O projeto parou durante a pandemia e finalmente pode retomar, devido ao sucesso esse ano, haverá uma série de viagens no ano que vem e o musical entra em turnê pelo Brasil.


A próxima apresentação será dia Sábado, 4 de dezembro às 21h, no Vivo Rio. Abertura da casa: 2h antes do início do show.


Sinopse

Em dois atos, o musical mostra a história de oito personagens, Mia, Enrico, Justo, Bete, Deco, Vera, Ernesto e Dornelles, que vivem no Baixo Leblon, no Rio de Janeiro, abordando temas como preconceito, sexo, drogas, amor e desemprego presentes nas 20 músicas de Cazuza, entre elas “O Tempo não para”, “Pro Dia nascer Feliz”, “Um Trem para as Estrelas”, “Codinome Beija-Flor”, “Ideologia”, “Bete Balanço” e “Brasil”.