top of page

Peça de teatro aborda inseminação artificial em famílias tradicionais judaicas


(Foto: Rogério Fidalgo)

“Circuncisão em Nova York”, penúltimo texto do grande autor, diretor e dramaturgo, João Bethencourt, está em cartaz no Teatro Brigitte Blair, em sua quarta temporada. Com direção artística de Guilherme DelRio e supervisão de direção de Cristina Bethencourt, o espetáculo é uma comédia que contribui para a promoção da difusão e memória da dramaturgia brasileira, da cultura judaica e valorização da temática LGBTQIA+.


A peça tem como pano de fundo a história de duas filhas de famílias tradicionais judaicas, que são companheiras e resolvem ter um filho via inseminação artificial, sendo que o pai de uma delas, sem saber da homossexualidade da filha e nem do método usado para concepção do primogênito, vibra com a notícia que será avô até descobrir pela esposa que seu neto Abraãozinho nascerá via métodos nada normais, segundo ele.


A trama se desenvolve em cenário que remete a uma típica sala de um apartamento de uma família tradicional judaica que reside em Nova York. De forma divertida e leve, a peça propõe uma discussão contemporânea sobre a diversidade sexual, tema relevante e polêmico até hoje devido à parcela conservadora da sociedade.


O espetáculo estreou em março de 2022 no Teatro Vannucci e seguiu temporada nos teatros Fashion Mall e Brigitte Blair. Com elenco composto por atores com carreiras consolidadas, como Jalusa Barcellos e Sergio Fonta, que comemoram 45 e 50 anos de profissão, respectivamente; Narjara Turetta, Rogério Freitas, Araci Breckenfeld, Danton Lisboa e Carlos Loffler, essa temporada é marcada por uma coincidência: grande parte dos artistas mora em Copacabana, bairro onde a peça está sendo encenada.


Serviço: “Circuncisão em Nova York” | Temporada até 29 de janeiro | Teatro Brigitte Blair (Rua Miguel Lemos 51 H – Copacabana) – Tel: (21) 2521-2955 | Capacidade: 200 pessoas | Sábados às 20h30m e domingos às 19h | Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) | Vendas na bilheteria do teatro ou pela internet no Sympla.

Comentários


Os comentários foram desativados.
bottom of page