Governo do Estado promete recomeçar obras do Museu da Imagem e do Som até o fim do ano


(Foto: Governo do Estado / Divulgação)

No dia do aniversário de Copacabana, o Governo do Estado entregou um presente há muito tempo esperado: o anúncio da conclusão da obra do Museu da Imagem e do Som (MIS). A expectativa é que, após nove anos de atraso, ela finalmente seja concluída até dezembro de 2022, possibilitando a abertura ao público em janeiro de 2023. No total, serão investidos R$52 milhões.


O anúncio partiu do próprio governador, Cláudio Castro, que esteve no bairro trazendo a novidade. A construção está paralisada desde 2016, mas a promessa é que, em até 90 dias a partir do anúncio, o edital para a escolha da empresa que irá concluí-la seja lançado. “-Anunciar a retomada das obras do MIS, suspensas há cinco anos, no dia do aniversário de Copacabana, é uma alegria. É um presente que esse bairro e a população merecem. Inspirado nas curvas do calçadão do bairro, o museu será mais um ponto turístico em um dos mais famosos cartões-postais do mundo. É um presente para todos. É, acima de tudo, a preservação da nossa cultura, tão marcada pela música e pela musicalidade do nosso povo”, destacou Castro, que continuou: “Além de toda a questão simbólica e cultural, demonstra uma nova confiança no Estado do Rio de Janeiro. Em breve, outras obras serão retomadas também”.


Sua fala foi complementada pelo secretário de Infraestrutura e Obras, Max Lemos: “Vamos lançar no mercado sete editais, cada um com a sua função. Estamos otimistas em relação à quantidade de empresas disputando esse certame. A obra é a consolidação do turismo no Rio de Janeiro, uma cidade amada por todo o mundo. O projeto é muito singular, ofertando serviços culturais de última geração para moradores do Rio e turistas”, disse. Aproximadamente 70% da construção está concluída, o que movimentou R$79 milhões de recursos públicos e R$118 milhões captados pela Fundação Roberto Marinho junto à iniciativa privada. A última etapa prevê serviços de revestimentos e instalações (elétricas, hidráulicas, sanitárias, de prevenção contra incêndio e especiais), sistemas de sonorização, iluminação, entre outros. Por fim, quando esta fase tiver concluída, será implantada a museografia.


A nova sede do MIS terá um total de 9,8 mil metros quadrados de área construída e será dividida em oito pavimentos. A proposta é levar ao público a história da cultura brasileira, sob o ponto de vista dos cariocas. O local contará com espaços para exposições temporárias e permanentes, incluindo acervos sobre Carmen Miranda e o carnaval, além de uma cafeteria, um restaurante com visão para a Praia de Copacabana, um cinema a céu aberto, um auditório/teatro e até uma boate.


“A notícia da retomada da obra do MIS, aguardada por todos com tanta ansiedade e expectativa, nos dá ânimo para celebrar, ainda mais, a potência do povo do Rio de Janeiro e reafirmar nossa parceria na construção deste museu. Um museu que cada dia se mostra como um instrumento importante de afirmação e valorização daquilo que temos de mais importante e potente: a nossa cultura e nossa arte”, concluiu a gerente de Patrimônio da Fundação Roberto Marinho, Larissa Graça.