Coluna "Turismo": Natal

(publicada na edição 450)

Praia do Amor, em Praia da Pipa (Foto: www.pipa.com.br)

O verão é uma época boa para conhecer o Nordeste. As águas mornas são convidativas para os turistas, que encontram lá belas praias e outras atrações. Um dos destinos mais procurados pelos brasileiros é Natal. A capital do Rio Grande do Norte reúne tudo o que povoa o imaginário dos turistas quando pensam em visitar a região.


Um dos passeios favoritos dos visitantes são as Dunas de Genipabu. Ignorá-las é como vir ao Rio e não visitar o Cristo ou o Pão-de-Açúcar. Apenas o sobe e desce a bordo de um bugue ou de um quadriciclo já proporciona uma experiência inesquecível, mas quando pedem para o motorista seguir com emoção, os mais experientes conduzem os passageiros através de manobras inimagináveis realizadas do alto dos montes de areia. Quem preferir também pode conhecer as dunas montado em dromedários. Trata-se do único lugar na América do Sul onde esses animais podem ser encontrados para lazer.

Dunas de Genipabu (Foto: Flick.com/Rafael Vianna Croffi)

Outra duna muito famosa é a do Morro do Careca, com seus 107m de altura. Atualmente, as visitações não são mais permitidas (elas foram proibidas com o intuito de preservação da vegetação próxima), mas sua beleza pode ser admirada a distância da Praia de Ponta Negra, uma das mais badaladas da cidade.


Outra atração que não pode ser deixada de lado são os corais de recife de Maracajaú. Centenas de milhares de peixes de todas as cores se concentram ali, há 7km da orla. Os turistas podem escolher entre fazer snorkeling, a modalidade mais simples e acessível para todos (até para quem não sabe nadar – a maioria das operadoras oferece flutuadores), ou mergulho com cilindro. Este é sempre acompanhado por instrutores e só ocorre após breve explicação sobre alguns aspectos de segurança.


Perto de Natal, os turistas também costumam visitar o Cajueiro de Piranji, que consta no Guiness Book como o maior do mundo (apesar de, recentemente, ter sido comprovado que um no Piauí é mais extenso). Ele teria sido plantado em 1888 e, após tantos anos crescendo, hoje sua copa mede impressionantes 8,5 mil m² – ela pode ser vista por inteiro de um mirante. Sua produção também é enorme: por safra, estima-se que 80 mil cajus (2 toneladas e meia) sejam colhidos dele. Devido à fartura, entre setembro e dezembro os visitantes podem saborear da fruta fresquinha.


Outro ponto de interesse perto da capital potiguar é a Praia da Pipa, com suas enormes falésias, ela é muito popular no ano inteiro – no Carnaval, inclusive, há muita programação para todos os gostos. Toda a orla é bem estruturada com barracas e quiosques servindo cardápios variados. Distante cerca de 85km, a Praia da Pipa também dispõe de uma vasta oferta hoteleira, afinal, muitas pessoas preferem dedicar alguns dias apenas a ela.

Praia da Pipa e Morro do Careca (Foto: Prefeitura Municipal do Natal)

Natal ainda possui muitos outros lugares para ser visitado, como a Fortaleza dos Reis Magos, construído em 1598 no local de fundação da cidade; o Mercado de Artesanato de Ponta Negra, onde se encontra de tudo (é quase impossível sair sem experimentar as castanhas e as cachaças artesanais); a Barra da Tabatinga, onde os golfinhos chegam quase que todo fim de tarde para alegrar os visitantes e muito mais!

Fortaleza dos Reis Magos (Foto: Prefeitura Municipal do Natal)