Especialista lista oito motivos para a queda de cabelo


A queda de cabelo excessiva, que quando mais de 100 fios de cabelo por dia, é preocupante e pode acontecer por diversas razões, desde uma dieta pobre de nutrientes a alterações hormonais.


É sempre recomendado a busca por especialistas, de modo a orientarem o melhor tipo de tratamento, combinando alimentação adequada, suplementos nutricionais, shampoos ou técnicas que incluem lasers e/ou implantes. Pensando nisso, a tricologista Viviane Coutinho, membro-docente da ABT( Academia Brasileira de Tricologia) deu dicas de como tratar o problema.

Alimentação

A falta de nutrientes, vitaminas e minerais, como proteínas, o zinco, o ferro e as vitaminas A e C, pode ser uma causa de o cabelo cair. Eles ajudam no crescimento e fortalecimento capilar.


A especialista indica uma dieta rica em proteínas, ferro, zinco e vitaminas, como carne magra, queijo, leite, frutas e legumes. É importante frisar que todo o acompanhamento deve ser feito com um nutricionista qualificado.

Período pós-parto

Durante a gravidez os hormônios femininos encontram-se elevados, o que deixa o cabelo com um aspecto sedoso e brilhante. Porém, logo após o parto, os níveis hormonais caem drasticamente, principalmente o estrógeno e progesterona, cerca de 24 horas após o nascimento do bebê. Com isso, os fios ficam mais fracos e tendem a cair mais.


O ideal é manter a alimentação equilibrada, assim como seguir as instruções do médico responsável pelo parto, como o uso de suplementos e vitaminas durante a fase da amamentação.

Anemia

A carência de ferro pode causar queda excessiva do cabelo, pois trata-se de um mineral essencial para a produção de hemoglobina - proteína que carrega oxigênio nas células vermelhas do sangue para todos os tecidos do corpo, inclusive o couro cabeludo, que ao receber menos oxigênio e nutrientes, pode causar enfraquecimento e a queda dos fios.


É fundamental a busca a um médico para que seja avaliada a possibilidade de usar a suplementação em ferro, combinado a alimentação com os mesmos requisitos, feita por um nutricionista. Dentre os alimentos estão: folhas verde-escuras, fígado bovino e atum, por exemplo.

Estresse

O excesso de estresse e ansiedade podem causar um desequilíbrio hormonal do cortisol, um hormônio relacionado ao estresse, que quando está com os níveis aumentados pode provocar a queda excessiva do cabelo, com aumento do número de fios que caem por dia.

Além disso, afetam a digestão e a absorção de nutrientes no corpo, ocasionando o desequilíbrio de vitaminas e nutrientes essenciais para o crescimento e fortalecimento dos fios.

É importante identificar a causa do problema, seja por problemas pessoais ou profissionais. Assim, a busca por um psicólogo, combinada à prática de exercícios (o que libera a serotonina), alimentação equilibrada e a busca por momentos de distração.


Menopausa ou andropausa

Durante a menopausa, o ovário deixa de produzir estrógeno e, consequentemente, ocorre a interrupção da menstruação. Já na andropausa, há redução na produção de testosterona. Em ambos os casos, há a ocorrência de queda capilar, de modo frequente.

Por isso, é importante sempre estar em contato com o ginecologista, no caso das mulheres, ou endocrinologista, no caso dos homens, de modo a buscar o tratamento ideal.

Hipotireoidismo

O hipotireoidismo é um desequilíbrio dos hormônios produzidos pela tireoide que estão reduzidos, principalmente T3 e T4, que são necessários para o funcionamento de todas as células do corpo. Com isso, os cabelos podem ficar mais finos, secos e sem brilho, causando a queda.

É fundamental o acompanhamento com um endocrinologista, para que haja um tratamento adequado através de medicamentos.

Alopecia areata

A alopécia areata é uma condição causada por fatores genéticos ou doenças autoimunes como vitiligo ou lúpus, que fazem com que o cabelo caia de forma rápida e/ou em outras regiões do corpo que possuem pelos, como sobrancelha, barba, pernas e braços.


Busque um profissional para identificar a causa da doença e, assim, o tratamento mais adequado que pode ser feito com o uso de medicamentos, técnicas de estética como a carboxiterapia ou laser, ou técnicas cirúrgicas como implante ou transplante capilar.

Uso de medicamentos

Alguns medicamentos podem favorecer a queda de cabelo, como antibióticos ou de usos prolongados. Por isso, deve-se fazer um acompanhamento médico, além da consulta a um profissional, para o uso de suplementos que não interfiram na ação dos remédios.


Já no caso de tratamento do câncer, alguns tipos de quimioterapia podem provocar a queda do cabelo, que voltam a crescer quando a pessoa termina o tratamento.