Evento gratuito busca informar sobre endometriose, doença que atinge 40% das mulheres


A endometriose é hoje a principal causa de infertilidade feminina, atingindo cerca de 40% das mulheres que têm esse distúrbio, em que o tecido semelhante ao que reveste a parte interna do útero cresce fora dele.


“Muitas ignoram os sintomas, mesmo eles sendo incapacitantes; outras até buscam o ginecologista, mas, infelizmente, ainda encontram poucas informações. Tudo isso faz com que o tempo entre o início dos sintomas e o diagnóstico varie entre 7 e 10 anos, o que impacta de maneira cruel na sexualidade, nas relações, na qualidade de vida, na produtividade e até no sonho da maternidade, já que muitos ainda acreditam que a remoção do útero é solução para a endometriose – mesmo a doença estando fora desse órgão! Para ajudar a quebrar esse ciclo é importante informar para empoderar a paciente, fazendo-a entender que há tratamento e que é direito dela levar essa questão para a consulta médica. E, é com base nisso que criamos o EndoTalks, um projeto solidário e de movimento transformador para a conscientização e informação de mulheres com endometriose a partir de encontros gratuitos com especialistas de diversas áreas especializados em endometriose, como ginecologista, cirurgião do aparelho digestivo, urologista, radiologista, médica de dor, nutricionista e fisioterapeuta. Devido a pandemia, o encontro deste ano será transmitido ao vivo pela internet, nos dias 13 e 14 de março, das 9 às 14 horas. Para participar, basta se inscrever no www.endotalks.com.br”, diz o coordenador do evento, o ginecologista especialista em cirurgias minimamente invasivas Dr Tomyo Arazawa.

Segundo o médico, é importante desconfiar da presença de endometriose quando se tem pelo menos um dos seis principais sintomas (e que muita gente ainda acredita ser normal senti-los):

  1. cólica menstrual extremamente intensa, a ponto de deixar a mulher de cama e incapacitada de realizar atividades básicas, como levantar para tomar banho. E isso pode acontecer já a partir das primeiras menstruações;

  2. dor na relação sexual, especialmente no fundo da vagina;

  3. dor na região do reto ao evacuar, principalmente durante o período menstrual;

  4. dor ao urinar também no período menstrual;

  5. dor na pelve fora do período menstrual, principalmente no período da ovulação;

  6. dificuldade pra engravidar

Palestrantes confirmados para o EndoTalks:

  • Tomyo Arazawa – ginecologista especialista em endometriose, dor pélvica, cirurgia robótica, laparoscopia e histeroscopia

  • Lilian Fiorelli – ginecologista, obstetra, uroginecologista e especialista em sexualidade humana

  • Giuliano Borelli – ginecologista especialista em endometriose, dor pélvica e laparoscopia ginecológica

  • Juliana Sperandio – ginecologista e obstetra, especialista em saúde da mulher inspirada na humanização, excelência e qualidade de vida

  • Alexandre Bertoncini – cirurgião do aparelho digestivo e coloproctologista, especialista em endometriose intestinal

  • Fábio Torricelli – cirurgião urologista, especializado em cirurgias robóticas.

  • Renato Tomioka – médico ginecologista especializado em medicina reprodutiva e endoscopia ginecológica.

  • Paulo Bianchi – médico ginecologista especializado em medicina reprodutiva e endoscopia ginecológica.

  • Luciana Chamié – médica radiologista especializada no diagnóstico por imagem da endometriose.

  • Leandro Accardo – médico radiologista especializada no diagnóstico por imagem da endometriose.

  • Alexandra Raffaini – médica anestesiologista especializada no tratamento de dor crônica.

  • Juliana Gropp – nutricionista e nutricoach pelo Método Sophie Dream, especialista em nutrição clínica e doenças crônicas

  • Felipe Takatsu – Osteopata e professor de osteopatia no IDOT, especializado em terapias manuais.

  • Juliana Domingues – fisioterapeuta pélvica especializada em dor e disfunções do assoalho pélvico.

  • Bruna Chamma – fisioterapeuta pélvica especializada em dor e disfunções do assoalho pélvico.