Confira mitos e verdades sobre o câncer de próstata


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o câncer de próstata é o mais comum entre a população masculina, representando 29% dos diagnósticos da doença no Brasil. Além disso, estima-se que entre 2020 e 2022 surjam mais de 65 mil novos casos.


Mesmo sendo um dos tumores mais falados, muitos homens ainda sofrem com dúvidas sobre o câncer de próstata, e por vezes, a vergonha os impede de conhecer mais sobre a doença, fazendo com que acreditem em informações falsas. Pensando nisso, o Dr. Marcos Dall’Oglio, resolveu esclarecer os mitos e verdades sobre o tumor:


Já existe outro exame que elimina a necessidade do exame de toque

Mito. O toque é considerado essencial para avaliar a próstata e deve ser realizado anualmente depois dos 50 anos, mas se houver casos do câncer na família a partir dos 45.


O sedentarismo pode aumentar os riscos do desenvolvimentos do câncer

Verdade. O sedentarismo e a obesidade estão relacionados às alterações metabólicas que podem alterar as moléculas, responsáveis por parte do crescimento do câncer. Por isso, praticar exercícios e melhorar a alimentação pode prevenir a doença, pois ela fortalece o sistema imunológico, evita o aumento do peso, melhora os níveis hormonais e reduz o estresse.


PSA baixo significa que eu não tenho câncer

Mito. O câncer de próstata também pode ocorrer em homens com os níveis de PSA baixo. Por este motivo o toque é importante para a correta avaliação.


O câncer de próstata não apresenta sintomas na fase inicial

Verdade. Durante o início da doença a chance de cura é superior a 90%, mas nesta fase pode não apresentar sintomas. Quando o câncer de próstata é descoberto em fase avançada, a perspectiva de cura é muito baixa e o tratamento mais difícil e desgastante. É por esse motivo que sempre ressaltamos a importância de consultar periodicamente com o Urologista.


Câncer de próstata é uma doença do idoso

Mito. Apesar de ela ter relação com a idade, isso não é uma obrigatoriedade. Até 10% dos casos são descobertos em homens com menos de 50 anos, que podem acontecer, principalmente se há casos na família.


“Alguns dos sintomas urinários do câncer de próstata podem se relacionar com a micção frequente, fluxo urinário fraco ou interrompido e urinar durante a noite. No caso da doença ter se disseminado, sintomas de fraqueza, dores nas costas e nos membros inferiores podem indicar a progressão para os ossos. Nestas situações, procure um médico com urgência, para que seja feito o diagnóstico correto e o tratamento adequado ”, finaliza o médico.

Sobre Dr. Marcos Dall'Oglio

Possui graduação em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1993) e doutorado em Medicina (Urologia) pela Universidade Federal de São Paulo (2000). Professor Livre-Docente da Faculdade de Medicina da USP desde 2008. Tem certificação para atuar em cirurgia robótica (Urologia) pela Intuitive Da Vinci Surgical System Training. Atuou como Diretor Médico Oncocirúrgico e Chefe do Setor de Uro-Oncologia do Instituto de Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) e como Chefe do Setor de Uro-Oncologia da Divisão de Clínica Urológica do Hospital das Clínicas (HCFMUSP). Professor Associado da Faculdade de Medicina da USP desde 2012. Atua em Cirurgia Robótica Urológica, com linhas de pesquisa principalmente nos seguintes temas: fatores prognósticos do carcinoma de células renais, câncer de bexiga, de próstata e testículo, neoplasias malignas do trato genitourinário, técnicas cirúrgicas em urooncologia.