Coluna "Turismo": África do Sul (Johanesburgo e Cidade do Cabo)

(publicada na edição 503)


A África do Sul está em alta entre os brasileiros. Nas redes sociais, cada vez mais viajantes compartilham suas experiências no país, que possui atrativos para todos os gostos. Museus, safáris, praias, bungeejump... Há diversão para famílias, grupos de amigos, viajantes solitários e aventureiros profissionais. Vem com a gente desvendar esse país incrível!


Muitos turistas optam por iniciar suas férias em Johanesburgo, a maior cidade do país. É nela que fica o Museu do Apartheid, cuja visita é essencial para entender a história local. Situado no distrito de Soweto (um dos bairros pobres onde os negros eram obrigados a morar durante o regime de segregação – a história dele é apresentada também através de passeios realizados de bicicleta), logo ao chegar ele proporciona uma experiência chocante ao separar os ingressos de pretos e brancos, assim como as entradas do prédio, simulando a divisão racial que persistiu durante o período. Diversos heróis, como Nelson Mandela, são homenageados pela instituição – a casa do ex-presidente também é aberta a visitação e nela, o público pode conhecer mais sobre ele e sua família.


A cidade também é ponto de partida para passeios como o Parque Nacional Kruger, o maior e mais autêntico da África do Sul. Nele, existe a possibilidade de avistar o “big five”, conjunto dos cinco animais mais difíceis de serem encontrados na savana (rinoceronte, leopardo, búfalo, elefante e leão), além de outras centenas de espécies. É necessário dedicar um bom tempo para ele, talvez até um dia inteiro, já que talvez os bichos não apareçam imediatamente. Há quem indique até três dias para poder vivenciar a experiência como merecido. Outro lugar imperdível é o sítio arqueológico “Cradle of Humankind”, considerado Patrimônio Mundial pela Unesco. Ali, foram encontrados fósseis com mais de 4 milhões de anos, o que faz o local ser apontado como o berço da humanidade. Além das cavernas, cujo passeio dura cerca de 1 hora, há também um museu sobre o tema que merece ser visitado.

(Foto: thecradleofhumankind.net)

A Cidade do Cabo, uma das capitais do país (são três: esta, a legislativa; Pretória, administrativa; e Bloemfontein, judiciária), também merece ser visitada, já que é o principal destino local. Um dos maiores atrativos da cidade pode ser observado de qualquer ponto da capital: a Table Mountain. A formação rochosa alta e com cobertura plana dá nome a um parque nacional, que abriga zebras, antílopes, babuínos e mais de 2 mil espécies de plantas. Para admirar a vista privilegiada do topo, que chega a mais de 1 mil metros acima do nível do mar, os turistas podem optar pelo teleférico, que ainda garante uma volta de 360 graus ao longo da subida e da descida.

Table Mountain

Quem gostou da experiência no safári tem ali perto, ao sul da Cidade do Cabo, a chance de vivenciar mais um contato diferente com animais: a Boulders Beach, onde vive uma grande colônia de cerca de 3 mil pinguins. Além disso, há também a Seal Island (Ilha das Focas, em português), onde dezenas dos animais que dão nome ao local aproveitam o calor do sol e as águas claras do mar. Os visitantes só conseguem acessar a ilha de barco e é permitido chegar bem perto das focas, o que garante a diversão para toda a família.

Seal Island

Por ser o país mais ao sul do continente africano, a África do Sul é banhada por dois oceanos: o Atlântico e o Índico. No Cabo da Boa Esperança, lugar que habita o imaginário popular mundial, por ter sido palco das grandes navegações portuguesas, se tem o encontro das águas de ambos. O local, que fica na Cidade do Cabo, também é um parque, cercado de lindas praias habitadas

Cidade do Cabo

Para fechar com chave de ouro, aí vai uma dica para quem quer algo mais radical: pode ficar tranquilo, porque o bungeejump de ponte mais alto do mundo é no país! Localizada na maravilhosa Garden Route, roteiro cheio de paisagens incríveis, a Bloukrans Bridge é palco para o gigantesco salto de 216 metros em direção a um rio preso apenas por um cabo. Aventureiros dos cinco continentes vão até lá atrás de elevados picos de adrenalina. Quem não tem coragem de pular pode acompanhar os amigos e apreciar o clima de excitação que toma conta de todos.

por macacos babuínos.

Bloukrans Bridge